V. Setúbal 1-1 Marítimo

Marítimo empata no Bonfim

O Marítimo isolou-se provisoriamente no quarto posto da Liga de futebol.


v.set-maritimo

O Vitória de Setúbal empatou hoje 1-1 com o Marítimo, num jogo da Liga de futebol em que a determinação da equipa sadina na etapa complementar disfarçou a superioridade da equipa madeirense.


Os insulares entraram com a disposição de levarem os três pontos e atingiram o intervalo em vantagem, mercê do golo de Heldon, aos 25 minutos, tendo os sadinos igualado aos 59, por intermédio de Meyong.


O Marítimo cedo mostrou que estava no Bonfim para tentar ganhar os três pontos e beneficiou de uma boa oportunidade de golo logo aos 13 minutos, com Sami a rematar contra o guarda-redes Diego, e Heldon a desperdiçar a possibilidade de inaugurar o marcador.


O Vitória de Setúbal respondeu aos 20 minutos com uma boa jogada de Targino e Miguelito, que culminou com um remate de Meyong muito por alto.


Aos 25 minutos, o Marítimo, acabou mesmo por chegar ao golo, após uma jogada de Sami no flanco esquerdo, que culminou com um cruzamento milimétrico para a cabeça de Heldon, que assim colocou a equipa madeirense em vantagem.


Aos 36 minutos, O treinador do Vitória de Setúbal, José Mota, fez entrar Rafael Lopes para o lugar de Hugo Leal, que saiu lesionado, mas o jovem ponta-de-lança raramente criou perigo junto à baliza de Peçanha.


Já em tempo descontos, foi Briguel quem rematou forte e obrigou o guarda-redes do Vitória de Setúbal, Diego, a boa defesa.


Ao intervalo, o Marítimo vencia por 1-0, um resultado justo face ao melhor futebol exibido pela equipa madeirense.


Na segunda parte, o sinal mais voltou a pertencer ao Marítimo, que logo no primeiro minuto desperdiçou a oportunidade de chegar ao segundo golo, com um remate forte de Danilo, que foi às malhas laterais da baliza de Diego.


Aos 54 minutos, foi Roberto Sousa a rematar à trave da baliza sadina, num lance que daria um golo de bandeira.


O Marítimo dominava, mas o Vitória de Setúbal começava a acreditar que poderia dar a volta ao jogo.


O primeiro sinal do inconformismo da equipa sadina surgiu com um remate de Bruno Amaro, na cobrança de um livre direto, que fez a bola passar ligeiramente por cima da baliza de Peçanha.


O golo do Vitória de Setúbal surgiu aos 59 minutos, com Meyong, de cabeça, a dar a melhor sequência a um cruzamento da esquerda de Tengarrinha, que tinha entrado pouco antes para o lugar de Igor, e a restabelecer a igualdade (1-1).


O Vitória de Setúbal conseguia equilibrar a partida, e o resultado, com a raça que demonstrou no segundo tempo, mas, apesar do empate, a melhor equipa em campo foi sempre o Marítimo, que acabou penalizado pela falta de eficácia nas muitas oportunidades de golo que criou no estádio do Bonfim.


© ÓrbitanewsSport 2011