Sporting 3-0 Marítimo

E tudo a segunda parte mudou

O Sporting venceu o Marítimo por 3-0 e qualificou-se para as meias finais da Taça de Portugal.

spor mar 2

A equipa treinada por Domingos Paciência vestiu o "fato de gala" na segunda parte e embalou para uma boa exibição, apagando o que de mal se tinha visto nos primeiros 45 minutos.


Carrillo, Wolfswinkel e Insúa deram corpo à vitória por 3-0 sobre o Marítimo, que vale a presença nas meias finais da Taça de Portugal.

Primeira parte

Os primeiros 45 minutos não foram, de todo, muito interessantes. O Sporting apresentou algumas dificuldades na ligação dos setores e isso refletia-se nos soluços com que a equipa chegava ao ataque. Tal facto, não impediu a existência de oportunidades para a equipa de Domingos Paciência, mas parecia faltar a pontaria. Wolfswinkel tremeu perante o guarda-redes Ricardo e André Martins acertou por duas vezes na barra.

Do outro lado do campo, o Marítimo não se apresentou como uma equipa passiva, e também procurou os “caminhos” do golo. O técnico Pedro Martins tentou aproveitar a menor velocidade por parte dos centrais do Sporting e fê-lo com relativo sucesso. O tridente composto por Baba, Danilo Dias e Sami pôs , por várias vezes, em sentido a defesa do Sporting.

Ao intervalo, o zero a zero justificava-se, tendo em conta o que as duas equipas tinham produzido. Nota para a saída de Daniel Carriço, lesionado, ao minuto 19, entrando para o seu lugar André Santos.

Segunda parte

O intervalo parece ter feito bem, e de que maneira, à equipa orientada por Domingos Paciência. A garra e a ligação entre setores que falhou na primeira parte, desapareceu por completo e assistiu-se a um festival atacante dos leões.

spor mar

Depois de uma primeira oportunidade por André Martins, que rematou por cima, o Sporting chegou ao golo através de André Carrillo. O peruano marcou de cabeça (48’), correspondendo bem a um cruzamento do lado esquerdo feito por Diego Capel.

Animicamente, o Sporting estava motivado e o Marítimo atordoado. Sinal disso mesmo foi a falta cometida, dentro da área, por Rossi sobre Wolfswinkel. O jogador do Marítimo foi expulso e o holandês atirou ao poste.

Um par de minutos depois, nova grande penalidade para os leões. Carrillo caiu, com alegada falta de João Guilherme, e Artur Soares Dias voltou a apontar para a marca do castigo máximo. Wolfswinkel, chamado novamente à cobrança, redimiu-se e marcou o 2-0.

Os golos tornaram o jogo mais rápido e mais empolgante principalmente para o lado do Sporting que beneficiava de um Marítimo reduzido a dez elementos.

Foi sem surpresa, perante o enorme caudal ofensivo do Sporting, que Insúa fez o 3-0 de cabeça, após primeira intervenção do guarda-redes Ricardo. 

Os adeptos gostaram do que viram e mostraram-no, após o apito do árbitro para o final do encontro, através de uma salva de palmas. 

Com este triunfo, o Sporting junta-se a Académica e Oliveirense nas meias finais da Taça de Portugal.


© ÓrbitanewsSport 2011