Sporting 1-1 Moreirense

Só paciência já não chega


Só os golos deram emoção. Segunda parte foi para esquecer.

sport mor

O Sporting empatou esta quinta-feira com o Moreirense a um golo, em jogo da Taça da Liga elevando para cinco os jogos sem vencer. Bojinov viu Ricardo defender uma grande penalidade já nos descontos.

Perante 17 mil espetadores, o Sporting não conseguiu reagir ao momento menos bom que atravessa, talvez com o adversário teoricamente mais acessível para dar a volta por cima. Ainda assim, no início do jogo, a Juve Leo deixou um recado ao treinador: «Domingos não estás sozinho». 

O Sporting entrou ao ataque, como seria de esperar, já que partia para este encontro como favorito. O Moreirense, no entanto, não se remeteu à defesa e tentou a sorte logo aos dois minutos, por Ghilas, que procurou o remate de longe indo este parar às mãos de Marcelo.

Nos primeiros 15 minutos, os leões mantiveram a toada atacante, sem, porém, conseguirem finalizar e inaugurar o marcador. Schaars (17’) teve a primeira grande ocasião de livre direto, com Ricardo a voar e a proporcionar uma grande defesa.

A toada leonina baixou até ao momento do golo e Ghilas, de novo, agora aos 27’, a tirar os centrais do caminho e a obrigar Marcelo a grande defesa. E na jogada seguinte, Capel, que já tinha ameaçado aos 20’, de cabeça, desta vez não falhou. Perante Ricardo, atirou para dentro das redes.

Mostrando muitas oscilações na exibição e lentidão no eixo defensivo, o Sporting acabou por dar espaço ao Moreirense, equipa com o melhor ataque da Liga de Honra, com 25 golos, e sofreu as consequências.

Aos 35’, Ghilas, que já tinha ameaçado e cheio de confiança, deu o melhor seguimento a uma jogada de Luis Pinto. Cruzamento na direita o segundo poste, onde apareceu o francês a rematar à primeira, num fortíssimo pontapé.

Pouco depois, os papéis inverteram-se e o Moreirense teve à beira do segundo. Ghilas ofereceu a bola a Luis Pinto, perante uma defesa leonina a ‘dormir’, que acabou por rematar ao lado, numa perdida incrível.

E se a primeira parte foi morna, valendo a emoção de dois golos, na segunda só tendeu a piorar. O Sporting, que deveria ter corrido atrás do prejuízo, ficou sem gás e sem imaginação. Nem as entradas de Matias e Bojinov, por Carriço e Ribas, veio trazer frescura ou novas ideias. O Moreirense não se remeteu à defesa, mas fechou bem os espaços à equipa leonina. Ocasiões de golo é que nem vê-las. 

À meia hora da segunda parte, Ghilas ainda tentou o remate de longe, direito às mãos de Marcelo. Do outro lado, Matias viu bem Jeffrén, que entrou na grande área, dominou mal e a bola acabou por sair pela linha lateral.

Aos 36’, pelo lado esquerdo, Chico cruzou tenso, Ghilas foi ao relvado tentar com a cabeça, tocou com a mão e viu o amarelo.

Já perto dos minutos finais, Rodriguez cabeceou com muito perigo, a rasar a trave.

O momento do jogo na segunda parte ficou reservado para os descontos. Grande penalidade sobre Jeffrén. Matias preparava-se para marcar. Bojinov chegou ao pé do companheiro, afastou-o, e marcou. Mas Ricardo defendeu. E voltou a defender depois, com a ponta do pé. 

Os assobios não se fizeram esperar nas bancadas de Alvalade. Um som que há alguns tempos não se ouvia por estas bandas.

O Sporting recebe a 4 de fevereiro o Gil Vicente, que lidera, com quatro pontos, em jogo da terceira e última jornada do Grupo A da Taça da Liga e deixa todas as decisões para o final. O Sporting tem dois pontos, os mesmos que o Rio Ave, que vai jogar com o Moreirense. Os leões estão obrigados a vencer.


© ÓrbitanewsSport 2011