Rio Ave 1-3 Marítimo

Marítimo vence e descola do Sporting

O Marítimo isolou-se hoje, provisoriamente, no quarto lugar da Liga portuguesa de futebol, ao vencer 3-1 em casa do Rio Ave, em jogo que abriu a 19.ª jornada da prova.

O Marítimo venceu hoje o Rio Ave, por 3-1, em jogo da 19.ª jornada da Liga portuguesa de futebol, em que os dois golos de Danilo Dias, ainda antes dos 20 minutos, foram decisivos na vitória dos madeirenses.

marit-

Com este triunfo, a formação insular ultrapassa, à condição, o Sporting, e instala-se no quarto lugar do campeonato, com 35 pontos. Já o Rio Ave mantém-se, por enquanto, no 11.º posto, com 18 pontos.

O Marítimo não poderia esperar melhor entrada no jogo, inaugurando o marcador logo aos quatro minutos, com Danilo Dias a aproveitar um ressalto de bola para se isolar e bater o desamparado Huanderson.

O tento madrugador dos madeirenses acabou por desestabilizar o Rio Ave, que acusou a desvantagem e nos instantes inicais nunca conseguiu impor o seu futebol.

Do outro lado, o Marítimo jogava desinibido, conseguia trocar a bola com pouca oposição dos vila-condenses, acabando por não surpreender quando Danilo "bisou".

mari--

Desta vez, o avançado maritimista, aposta do técnico Pedro Martins para o lugar de ponta-de-lança, aproveitou a desconcentração da defensiva local para dar a melhor sequência a um canto apontado por Luís Olim.

Em menos de 20 minutos, o Rio Ave via toda a sua estratégia condicionada e, percebendo que a equipa estava demasiado presa às movimentações defensivas, Carlos Brito lançou Braga no jogo.

A aposta teve frutos imediatos, com o Rio Ave ganhar ambição e, sobretudo, mais dinâmica no esboçar dos seus ataques, passando a chegar mais vezes à baliza de Peçanha, movimentação rara até os 30 minutos.

A subida de rendimento dos locais foi premiada já perto do intervalo, quando Braga, com um remate de primeira, assinou o mais espectacular golo do embate, relançando o jogo para a segunda metade.

E, de facto, o Rio Ave surgiu com outra ambição após o reatamento, chegando com mais perigo à baliza de Peçanha, perante um Marítimo que também foi perdendo o atrevimento e recuando as linhas.

Pedro Martins, treinador do Marítimo, optou por segurar o resultado nos últimos minutos, colocando João Luiz e Robson, jogadores com características defensivas, mas acabou por ver a partida resolvida, aos 88 minutos.

O vila-condense André Vilas Boas desviou com a mão um remate de livre de João Guilherme, numa falta para castigo máximo que o defesa do Marítimo não desperdiçou, apontando o 3-1 final.



© ÓrbitanewsSport 2011