Rio Ave 1-1 Sporting

'Leões' entram em 2012 com igualdade (1-1) ao cair do pano


ave spor1

O Sporting voltou a visitar Vila do Conde e, agora em 2012, sai do reduto do Rio Ave com um empate a uma bola. O resultado foi novo mas o golo de Onyewu, que deu a igualdade dos 'leões, veio colocar o mesmo nome na lista de marcadores, à semelhança do que se tinha passado no encontro a contar para o campeonato.

O Sporting voltou de 2011 com uma aparente sonolência, algo que foi aproveitado por um Rio Ave atrevido e decidido a emendar o resultado da partida para o campeonato, quando os 'leões' venceram por 3-2 após uma entrada de rompante no encontro.

Hoje, porém, quem entrou melhor foi o Rio Ave. Ao notar a ritmo lento dos lisboetas, os vila condenses foram aproveitando a velocidade de Cristian Atsu para abrir espaços na defesa leonina, rápida nas alas mas lenta no meio, com Polga e Onyewu. Mas seria de bola parada que o Rio Ave chegaria à vantagem.

Aos 16 minutos, Jorginho conquistou um livre à entrada da área, onde pouco antes tinha já ameaçado a baliza de Marcelo Boeck. Desta feita, o guarda-redes brasileiro devolveu o remate do seu compatriota para a frente, onde estava João Tomás para, de cabeça, de inaugurar o marcador e colocar o Rio Ave em vantagem.


O golo acordou os 'leões' que, primeiro por Elias e depois por Van Wolfswinkel, podia ter empatado a partida. O internacional canarinho rematou por cima após cruzamento de Diego Capel na esquerda, e o holandês desenquadrou-se com a baliza, após receber de costas um passe pelo ar de André Santos – hoje titular no lugar de Daniel Carriço.

O Sporting continuaria a crescer até ao intervalo, mas a ascensão continuou a ser acompanhada por um desaproveitamento das oportunidades criadas, e foi com a vantagem do Rio Ave que a partida chegou ao intervalo.

Só Onyewu pôs fim ao desperdício

A segunda parte viria a reforçar a tendência com que terminou o primeiro tempo: os 'leões' a cimentarem o seu controlo da partida, mas sem escreverem a superioridade no resultado. Em suma, o Sporting continuava a desperdiçar as oportunidades que ia criando.


ave spor2

O Rio Ave optou por resguardar a sua defesa, encurtou o espaço entre linhas, e ofereceu ainda mais a iniciativa ao Sporting, depositando as investidas atacantes na velocidade de Atsu e Yazalde.

Aos 61 minutos os 'leões' tiveram a sua melhor oportunidade para o empate. Diego Capel recolheu um mau atraso de André Dias e, apenas perante Paulo Santos, permitiu a defesa ao veterano guarda-redes português ao demorar em demasia a rematar.

O Sporting continuava a pressionar, mas sem resultados práticos notórios. O seu treinador, Domingos Paciência, fez regressar Matías Fernandez e Marat Izmailov - ambos após lesão -, e, consequentemente, a velocidade do jogo leonino decresceu, com a falta de ritmo do chileno e do russo.

As mudanças surtiram contudo uma flagrante oportunidade para o Rio Ave quando, em contra ataque rápido, Cristian Atsu isolou-se e, sozinho frente a Marcelo Boeck, permitiu a defesa ao brasileiro. E, até final, nada de novo.

Quando se adivinha um desfecho com uma derrota, eis que Onyewu, voltou a marcar. Aos 88 minutos, o central norte-americano foi até à grande área vila condense para desviar, com o pé esquerdo, um cruzamento rasteiro de João Pereira, e voltou assim a marcar em Vila do Conde.

O Sporting pode assim agradecer o empate a Onyewu, e também a Marcelo Boeck. O guarda-redes brasileiro, habitual suplente, fez três essenciais defesas já durante os cinco minutos de descontos da partida, salvaguardando a igualdade com que os 'leões' saíram da sua primeira partida para a Taça da Liga.

Os 'leões' entram assim em 2012 com um empate arrancado a ferros que, sobretudo, mantém a equipa na corrida pelas meias-finais da Taça da Liga. E, mais importante ainda, amenizou as repercussões anímicas para o embate de sábado, em Alvalade, frente ao FC Porto.

Aí, um empate ou derrota poderão hipotecar em definitivo outra luta do Sporting: a luta pelo título.


© ÓrbitanewsSport 2011