P. Ferreira 1-2 FC Porto

FC Porto entra a vencer


Dragões vencem Paços de Ferreira com golos de Cristian Rodríguez e Hulk.


hulk --2

O FC Porto venceu hoje em Paços de Ferreira, por 2-1, para a Taça da Liga de futebol, oferecendo a Vítor Pereira, treinador dos "dragões" há meio ano, um novo máximo de seis jogos consecutivos sem perder.

Cristian Rodriguez colocou o FC Porto a vencer, logo aos dois minutos, William restabeleceu a igualdade para o Paços de Ferreira, aos 16, e, já no segundo tempo, aos 70 minutos, Hulk, na cobrança de uma grande penalidade, fixou o resultado final.

A vitória dos campeões nacionais pela diferença mínima explica-se pela atitude mais relaxada da equipa e alguma falta de rotina dos jogadores chamados ao "onze", que manteve em relação ao jogo com o Marítimo, no Dragão, apenas Maicon, Otamendi, Belluschi e Djalma.

O guarda-redes Bracali, os defesas Mangala e Alex Sandro, os médios Souza e Rodriguez e os avançados Kléber e Varela foram as novidades no "onze" do FC Porto, face a um Paços de Ferreira que mexeu na defesa, com as entradas dos laterais Diogo Figueiras e Luisinho, e no meio campo, que ganhou "músculo" com André Leão e criatividade com Vítor.

O FC Porto entrou praticamente a ganhar, com o golo de Rodriguez, logo aos dois minutos, beneficiando de um ligeiro desvio de Diogo Figueiras, a concluir um lance bem trabalhado por Kléber, que saiu com a bola controlada do meio de dois adversários e, num toque em habilidade, isolou o internacional uruguaio.

Os líderes da Liga, em "4-2-3-1", tiveram quase sempre o domínio do jogo, mas faltou alguma velocidade nas transições, exceção feita a Rodriguez, o mais inconformado dos "dragões", face a um Paços de Ferreira bem mais contido do que o "4-3-3" poderia supor.

Sem que nada o fizesse prever, os locais chegaram à igualdade num lance de bola parada, aos 16 minutos, por William, na recarga a um primeiro cabeceamento de Javier Cohene.

Este lance, com culpas para os centrais do FC Porto, desinibiu os pacenses, que voltariam a estar perto de marcar, aos 39 minutos, por Melgarejo, mas o desvio do avançado saiu ao lado da baliza de Bracali.

O internacional sub-20 do Paraguai cedido pelo Benfica ao Paços de Ferreira voltou a estar em evidência no segundo tempo, ao vencer em velocidade os defesas do FC Porto, mas a finalizar defeituosamente em dois momentos, aos 61 e 66 minutos.

Nesta fase do jogo, Vítor Pereira já tinha colocado em campo João Moutinho, entrado ao intervalo para o lugar de Maicon, recuando Djalma para defesa direito, e Hulk, que, aos 69 minutos, viria a protagonizar o lance da grande penalidade que o próprio viria a converter, um minuto depois.

O técnico do FC Porto não quis correr riscos e lançou ainda Fernando no jogo, para dar mais força a um meio campo que não deu grandes veleidades aos contra-ataques dos locais.

Com este triunfo, o FC Porto ganhou vantagem no Grupo D, que, além do Paços de Ferreira, inclui ainda o Vitória de Setúbal e o Estoril-Praia.

Jogo no Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira.
Paços de Ferreira - FC Porto, 1-2.
Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

0-1, Cristian Rodriguez, 02 minutos.
1-1, William, 16.
1-2, Hulk, 70 (gp).

Equipas:

- Paços de Ferreira: Cássio, Diogo Figueiras (Caetano, 87), Javier Cohene, Fábio Faria, Luisinho, Filipe Anunciação, André Leão, Vítor (Backar, 75), Manuel José, Melgarejo e William (Michel Lugo, 83).
(Suplentes: António Filipe, Eridson, Backar, Luiz Carlos, Josué, Caetano e Michel Lugo).


- FC Porto: Bracali, Maicon (João Moutinho, 46), Otamendi, Mangala, Alex Sandro, Souza (Fernando, 79), Belluschi, Djalma, Varela (Hulk, 59), Cristian Rodriguez e Kléber.
(Suplentes: Kadú, Tiago Ferreira, Fernando, João Moutinho, Iturbe, Vion e Hulk).

Árbitro: Rui Costa (Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Mangala (65), Fábio Faria (69) e Luisinho (81).

Assistência: Cerca de 2.500 espetadores.


© ÓrbitanewsSport 2011