Marítimo 2-1 Olhanense

Marítimo vence e iguala SC Braga


maritimo

O Marítimo igualou o Sporting de Braga na quarta posição da Liga portuguesa de futebol, ao vencer em casa o Olhanense por 2-1, em jogo da 14.ª jornada, que marcou a estreia de Sérgio Conceição como técnico dos algarvios.


Um golo de Benachour e outro de Danilo Dias, com duas assistências do goleador Baba, permitiram ao Marítimo vencer hoje o Olhanense, em jogo da 14.ª jornada da Liga portuguesa de futebol.

O Olhanense, que estreou o técnico Sérgio Conceição, marcou por intermédio de Rui Duarte, na marcação de uma grande penalidade.

Com o triunfo, os insulares somam agora 25 pontos, os mesmos que o Sporting de Braga, quarto classificado que defronta o Beira-Mar, em Aveiro, na segunda-feira, no fecho da jornada, enquanto os algarvios somaram a sexta derrota na Liga e encontram-se agora na 11.ª posição, com 14 pontos.

Numa primeira parte de grande inspiração, traduzida em futebol rápido e ao primeiro toque, o Marítimo cedo assumiu o controlo do jogo.

Das ameaças iniciais ao primeiro golo passaram apenas 18 minutos, quando Baba cruzou na direita e Benachour, na passada, empurrou a bola para dentro da baliza, colocando a sua equipa em vantagem.

O Olhanense, mais preocupado em travar as investidas do adversário, apenas criou com algum perigo aos 21 minutos, através de um remate de Salvador Agra que Peçanha deteve sem grande dificuldade.

Aos 33 minutos, os madeirenses chegaram ao 2-0, após um lance de ataque conduzido por Baba e finalizado por Danilo Dias, que bateu Fabiano pela segunda vez na tarde.

Insatisfeito com desenrolar do jogo, Sérgio Conceição operou a primeira alteração na equipa aos 35 minutos, colocando Toy no lugar de Mateus.

Pouco depois, os algarvios reduziram a desvantagem, beneficiando de uma grande penalidade, com o árbitro a considerar que Roberto Sousa tocou a bola com o braço. Na cobrança do castigo, Rui Duarte fez o golo.

A segunda parte foi menos atrativa e mostrou um Marítimo afetado pelo golo sofrido sobre o intervalo e um Olhanense mais crente, mas com pouco poder ofensivo para surpreender o adversário.

O jogo tornou-se tedioso e com poucos lances junto das balizas, sem lugar a registos, mas com os insulares sempre mais próximos da baliza adversária.


© ÓrbitanewsSport 2011