Benfica 2-1 Sp. Braga

Nota artística destrona o líder Braga

Depois de uma segunda parte absolutamente maravilhosa, o resultado foi estabelecido já perto do final, com Bruno César a apontar o golo decisivo.

O Benfica recebeu e venceu o Sporting de Braga por 2-1 em jogo da 25.ª jornada da liga portuguesa. As duas equipas lutaram muito e numa segunda parte de grande nível marcaram-se três golos. Witsel, de pénalti, pôs o Benfica em vantagem, Elderson redimiu-se do pénalti cometido e empatou o jogo, mas Bruno César assegurou a vitória encarnada já nos descontos.

Começou melhor o Benfica no jogo do Estádio da Luz. Os encarnados entraram mais pressionantes e o Braga contentou-se em explorar o contra-ataque. Rodrigo e Bruno César foram os primeiros a pôr à prova os reflexos de Quim.

O ritmo de jogo baixou a partir dos primeiros 10 minutos e coincidiu com a lesão de Luisão. O capitão do Benfica magoou-se sozinho e durante o resto do primeiro tempo apresentou sempre limitações, ao ponto de os colegas evitarem endossar-lhe a bola.

A partir do primeiro quarto de hora, o Sporting de Braga deu resposta ao Benfica, com Márcio Mossoró a comandar os arsenalistas. O jogo tornou-se mais equilibrado, mas simultaneamente menos atrativo, com o Benfica a perder o fôlego dos minutos iniciais.

Com o aproximar do final do primeiro tempo, a equipa de Jorge Jesus voltou a acelerar o ritmo, mas a melhor oportunidade acabou mesmo por pertencer ao Braga: Alan arrancou pela direita, sentou Nico Gaitán na linha de fundo e assistiu Marcio Mossoró, mas o brasileiro permitiu a defesa a Artur, que segurou o 0-0.

A começar a segunda parte, Quim não quis ficar atrás de Artur e também foi obrigado a mostrar serviço. Cardozo assistiu Witsel e o belga rematou para defesa apertada do guarda-redes minhoto.

Minutos volvidos e uma arrancada de Gaitán voltou a causar problemas ao Sporting de Braga. O argentino rasgou toda a defesa bracarense, assistiu Witsel, mas o médio atirou muito por cima.

brag-be--

Iniciou-se a melhor fase do jogo, com Benfica e Braga de olhos virados para a baliza e muito espaço para jogar. A cada perda de bola do Braga o Benfica respondia com ataques perigosíssimos. Rodrigo parecia ter o “diabo no corpo”, aparecia em todo o lado, mas a pontaria é que continuava desafinada. 

Já Lima teve a mira afinada demais: o brasileiro respondeu de cabeça a um cruzamento de Alan e a bola ainda “beijou” a trave da baliza encarnada. 

Por esta altura, Mossoró era o melhor do Braga mas também ele foi incapaz de inaugurar o marcador. Ao minuto 66’, Lima teve o espaço que quis com Miguel Vítor caído no relvado e cruzou para Mossoró. O brasileiro deslumbrou-se e atirou ao lado. 

Depois de minutos de futebol espetáculo, chegou a polémica: Lima caiu na área encarnada e João Ferreira deixou seguir e segundos depois apontou pénalti favorável às águias. Bruno César é atropelado por Elderson e João Ferreira não hesita em marcar o castigo máximo. Na conversão, Witsel enganou Quim e colocou o Benfica em vantagem.  

O Sporting de Braga abanou mas não caiu e respondeu quase de imediato. Hugo Viana bate um livre de forma exemplar, Artur só consegue sacudir e Elderson agradeceu aos deuses a hipótese de se redimir do pénalti cometido e encostou para o empate.

Cabia ao Benfica uma resposta e chegou em forma de nota artística: Gaitán desmanchou a defesa bracarense com Bruno César, e o brasileiro atirou para o 2-1 e delírio do Estádio da Luz.

Depois de uma grande noite de futebol na Luz, o FC Porto passou para a liderança do campeonato. O Benfica está a um ponto dos dragões e o Sporting de Braga caiu para terceiro, agora a dois pontos do líder.


© ÓrbitanewsSport 2011